quinta-feira, 25 de agosto de 2016

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Bailarinas saltitantes

Aproximando-me da música que ouvia na rua St-Catherine, deparei-me com estas bailarinas saltitantes em frente do "Banana Republic". Sim, para aqueles que tanto falam mas não conhecem, a República das Bananas está localizada em Montreal.
Mais adiante voltamos a encontrar-mo-nos em frente às Promenades Cathédrale.

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Por baixo de um grande homem

Uma super mulher.

Erica Wiebe foi a grande vencedora da medalha de oiro da sua categoria nos jogos Olímpicos 2016 do Rio em luta libre. A seguir ao combate com uma alegria fora de série, deu uma volta com seu treinador aos ombros.

Foto tirada do jornal Metro de 19 do corrente mês.

domingo, 21 de agosto de 2016

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

A almofada da sogra

Muito conhecido em todo o mundo este cato natural do México e práticamente extinto no seu habitat natural, é por isso considerado em perigo de extinção. A sua forma arredondada que lhe permite de reter muita água combinada com uma altura de cerca de um metro e pleno de picos excepto na parte superior, levou a que sendo o seu nome "Echinocatus grusonil", seja conhecido popularmente como a "Almofada da Sogra".

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Festas da Avenida do Mont-Royal

Todos os anos no verão há as chamadas festas de rua que alegram a zona. Têm o condão de serem muito frequentadas  pelo que muito ajudam os comerciantes que podem pôr os seus expositores em plena rua.
É interessante porque é uma forma de vida muito similar à das aldeias mas neste caso incorporada numa grande cidade.
Por coincidência passei lá num desses dias e aqui fica um pouco do que pude ver ainda de manhã cedo.
Com as ruas fechadas ao trânsito, as pessoas podem andar à-vontade.
A concorrência religiosa não é de hoje. Já vem de há muito tempo nesta terra pois era muito natural que aonde houvesse uma igreja católica, perto ou mesmo à frente aparecia logo outra dos protestantes. Eram o Macdonald e o Burger King da época.
Hoje um grande número destas igrejas estão a serem aproveitadas pois são excelentes prédios dos quais alguns autênticos mosteiros e fácilmente adaptados a outros fins.
Neste caso funcionam aqui os serviços do Plateau-Mont-Royal, zona muito desejada para habitação por certos artistas do Quebec. Também aí está isntalada a biblioteca local.
A cultura é trazida até nós de forma subliminal com uma série de quadros ao longo dos passeios, que com as suas descrições nos dão a conhecer actores do Quebec.
Mesmo cedo a avenida tinha movimento.
O descanso das heroínas.
A cãmara para fomentar o ciclismo urbano, tem certos domingos de cada mês que permite às pessoas de utilizarem
gratuitamente as bicicletas de aluguer Bixi.
Neste caso podemos ver dois estacionamentos locais para bicicletas de privados.
Mudamos de passeio e vemos novamente uma amostra de quadros de artistas locais.
Com cafés e restaurantes dos dois lados da rua as pessoas não poderão fumar em grandes partes da sua extensão, logo que entre em vigor a nova lei no mês de Novembro. A partir dessa data fica proíbido fumar a nove metros das suas portas, assim como de organismos governamentais incluindo as janelas.
Damos uma olhadela na concorrente, quero dizer: na igreja que hoje é um Sanctuário e que fica práticmente em frente da outra que agora serve de biblioteca. De notar que estas igrejas no passado estavam localizadas na periferia de Montreal mas com o tempo foram absorvidas pela cidade.
Só que festival sem dança não é festival, pois é um bom meio de manutenção.
Há outros que preferindo a calma utilizam meios de transportes ecológicos.

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

A fonte da vida

Uma oferta dos cidadãos de Lachine em 1977 à geração furtura. Trata-se de uma esculptura de Pierre-Gilles Dubois filho da própria terra.

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Fachadas e águas furtadas

Ao passearmos em Montreal é quase obrigatório olhar-se para cima pois encontra-se nas suas águas furtadas uma expressão de arte diferente do habitual.

Uma varanda diferente.
Lindas águas furtadas.
Um torreão que é uma maravilha.
Neste belo cruzamento representando as duas fotos acima e tendo por fundo a Montanha, pode-se ver pessoas a atravessarem a rua a correr fazendo a sua manutenção diária, assim com um ciclista.

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Monumento aos bombeiros mortos em serviço

Esta homenagem aos bombeiros mortos em serviço, representa dois bombeiros acabados de saír de um incêncio aonde um colega perdeu a vida. Carregada de simbolismo, está situada na frente do edfício da Caixa de economia dos bombeiros de Montreal.
Fachada do edifício da Caixa de economia dos bombeiros de Montreal, podendo-se ver nos vidros a inscrição dos nomes dos bombeiros que deram a sua vida em serviço.
.

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Portugal

Campeão europeu de futebol

A vitória de Portugal em futebol no campeonato europeu galvanizou os portugueses radicados em Montreal, que festejaram até altas horas da manhã no Boulevard Saint Laurent assim como na rua Rachel, tendo a polícia cortado essas zonas ao trânsito.
Ainda hoje muitas casas e carros se apresentam engalanados com a bandeira portuguesa por toda a cidade.

Uma vista de alguns casos no Boulevard Saint-Urbain.
As antigas colónias mostraram-se solidadárias.
Termino com uma grande bandeira que marca bem a presença portuguesas.

sexta-feira, 8 de julho de 2016

Simplesmente Boro

Uma harmonia entre assinaturas e pintura

terça-feira, 5 de julho de 2016

Jardins em Montreal

A jardinagem é uma autêntica cultura popular em Montreal. Em qualquer local as pessoas gostam de criar os seus canteiros de flôres adornando-os por vezes com os mais variados objectos, entre os quais se podem ver potes, bicicletas, jarros em cerâmica, regadores, banheiras, sanitas, tudo envolvido ou cheias de belas flôres, assim como esculturas, etc.
Numa volta podem-se ver vários tipos de jardins com a maior das facilidades, o que com o número elevado de árvores dão-nos uma aparência de verdura fora de vulgar.

Mesmo os espaços pequenos gostam de os embelezar, nem que seja com um canteiro pleno de flores e um chorão do tipo anão.
Outros não ficam só pelos jardins e fazem como que um prolongamento com trepadeiras
que por vezes até fazem sobressaír as belas águas furtadas de arquitectura muito diversificada, assim como os diferentes tipos de escadas exteriores que dão acesso à entrada principal muito utilizadas por estes lados. De notar a arte do ferro forjado num grande número de edifícios.
Há outros casos aonde as pessoas optaram pela simplicidade, criando grandes espaços livres que dão uma noção de profundidade e verdura a quem passa.