segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Passeando em Pointe Claire

Passeando-se nas ruas notamos que as pessoas gostam de apaparicar os seus jardins, nem que seja com uma bicicleta. O espaço de relva até ao passeio dá uma maior profundidade que descansa a vista a quem passa. Como a invasão da propriedade alheia é um acto muito grave, ela é respeitada mesmo que hajam belas flores ou árvores de fruto. A largura dos passeios é uma bela contribuição para que tudo funcione harmoniozamente. Muito simples mas belo.

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Esplanadas de Montreal

Montreal tem imensas esplanadas comerciais como em todas as outras cidades mas um grande número delas têm o condão de estarem em grande parte sobre os passeios mas não estão encostadas aos edifícios. Assim permitem a passagem dos peões pois são construídas sobre o lado exterior dos passeios e prolongam-se pela zona de estacionamento dos automóveis até às pistas de ciclismo.
Outras são colocadas só no local de estacionamento dos automóveis, sempre acompanhadas pelos descansos para as bicicletas.
O mesmo acontece com esplanadas postas à disposição da população pela cãmara municipal para que as pessoas se refresquem, descansam e aproveitem para comerem as suas merendas.
Podemos dizer que a utilização da madeiras nestas esplanadas lhes dá um toque especial.
Derivado à qualidade de vida que as autoridades tentam levar às populações, mesmo que não houvessem esplanadas, as pessoas encontrariam aonde descansarem e refrescarem nos dias de calor.
Quer seja nas ruas, praças ou parques, o arvoredo é um bem fundamental para o equilíbrio do meio ambiente.

domingo, 6 de agosto de 2017

Festival Presença Autoctone

Está a decorrer neste momento o Festival Presença Aautoctone deste ano, estando previsto a actuação de ranchos internacionais que com as suas cores lhe dá muita vida. Uma pequena amostra dos momentos iniciais de hoje.

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Cores vivas

Um excelente mural que sobressai pelo contraste das suas cores.

sábado, 22 de julho de 2017

Frescura

Tendo por fundo a escultura "O Homem” de Alexandre Calder, um passeio de barco até sabe bem.

terça-feira, 18 de julho de 2017

Mural interior

A arte mural está de tal maneira enraízada em Montreal que companhias com interesse em darem qualidade de vida ao seu pessoal, encomendam maravilhas destas.
Foto: Joana Silva

sábado, 10 de junho de 2017

Parque de Portugal

Quando se passeia no Boulevard Saint Laurent no sentido norte e cruzamos a rua Marie Anne, vemos à nossa direita o parque de Portugal que tem como lema "... chegámos a estas paragens em busca de nova vida e de novos horizontes".

Ao depararmos com a entrada, o pavimento dá-nos logo um ar da nossa terra. A verdura e as sombras em pleno meio da cidade convidam ao repouso em certas horas do dia.
E pelas bandeiras vimos logo que não nos enganámos.
Não falta o célebre marco que nos caracterizou durante alguns séculos.
Assim como o tão airoso coreto utilizado na transmissão da cultura e como centro de distracções, se bem que não seja estritamente português.
A fonte que bem conhecemos, não lhe faltando a argola utilizada mais habitualmente para o burro ou para o macho.
Nas suas costas, um belo trabalho em azulejo que bem dignifica esta arte que tão bem conhecemos.
E quando se sai do parque, porque não pensar no meio ambiente.
Um gosto bem português.

sábado, 27 de maio de 2017

Vamos acompanhar o artista

Na primeira e segunda passagem, o artista avançava na sua obra.
O trablho acabado.

sexta-feira, 26 de maio de 2017

domingo, 21 de maio de 2017

Montros

Estes dois excelentes trabalhos de Phlegm sobre parede em tijoleira e o outro sobre madeira, são verdadeiras obras de arte numa pequena indústria do Boulevard Saint-Laurant, mais conhecido pelo The Main.

sábado, 20 de maio de 2017

Quando a cidade é um jardim

Montreal é uma cidade cujo o seu núcleo está cercado pelas diversas zonas habitacionais. Ao contrário das grandes cidades europeias, essas zonas não são do tipo dos chamado dormitórios com grandes edifícios para as pessoas que labutam na cidade. A grande maioria são casas de rés do chão e primeiro andar que mais fazem lembrar as zonas dos nossos bairro. Em certas ruas no meio destas zonas, existem edifícios de três andares com apartamentos mas que não alteram a estética devido a arborização. Se bem que não muito usual, há certas zonas com edifícios com sete e oito andares mas que de uma maneira geral são para pessoas na idade de oiro.

Por isso na sua grande extensão e com a sua floresta urbana, mais parece um jardim.
Foto: Lucinda

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Arte pública

Ao passarmos em frente desta escola secundária ficamos admirados com dois tipos de obras de arte diferentes, muito simples mas que nos obrigam a virarmos os olhos e a tentar compreender o que nos é dado observar. As pessoas por onde passam têm sempre arte para ver, faz bem à mente e aos olhos.

domingo, 14 de maio de 2017

Isto aconteceu

Dois irmãos mostraram ao mundo que só nós temos menosprezado a nossa língua no dia a dia e por vezes até em certos eventos de toda a natureza. Ganharam em português, o que demonstra que quando o produto é bom a língua é universal.

Salvador Sobral e sua irmã Luisa autora da canção, cantam em português "Amar pelos dois", em Kiev. Arranjo de Luís Figueiredo.


Luisa Sobral numa entrevista aonde defende a nossa língua e o nosso turismo com preços baixos e a beleza do país. Fez em pouco tempo muito pelo nosso país.

 
Ainda vivi para ver este acontecimento.

terça-feira, 9 de maio de 2017

domingo, 23 de abril de 2017

Picadeiro

Muito concorrida derivado ao comércio e às esplanadas dos seus bares e restaurantes, a rua Prince Arthur é uma bela rua de passagem. Um autêntico picadeiro a certas horas do dia. Só está aberta a pedestres, sendo situada no centro da cidade cruzando com o Boul. St-Laurant que é o principal desta cidade e por isso conhecida como "The Mainly".

Logo de manhãzinha já há pessoas nas esplanadas, podendo-se escolher um lugar ao sol ou à sombra. Em certas horas do dia é difícil furar.
Convivem restaurantes dos mais variados, mesmo os que não têm esplanadas.
Só que até parece que conhecemos este pelo nome.
Uma perspectiva de uma fonte que dá vida a esta rua, ainda antes dos restaurantes abrirem.
Os telefones da época, a condizerem.
Zona propícia para filmagens.
É nesta rua que fica o célebre obra mural "L’Euforie des Sages".

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Uma beleza

Que por vezes sai cara.
A doninha fedorenta é um lindo animal que se vê muito em Montreal.
Quando passeamos durante a noite devemos ter muito cuidado porque é quando se alimenta. Como é um animal muito curioso, adora explorar tudo à sua volta.
Gosta de se banquetear junto dos contentores do lixo mas mesmo que esteja escondida entre eles, é fácilmente detectada porque o seu cheiro nauseabundo é perceptível a uma grande distância. Não é esquesita pois tanto se alimenta de restos animais como vegetais. Com as suas longas garras, escava à procura de insectos e larvas. Um ovinho, é uma excelente sobremesa.
Quando se julga em perigo alerta batendo com uma das patas da frente de forma seca e sonora, iriçando o pêlo e levantando a cauda. Se não pararmos lança um líquido mal cheiroso à distância que se atinge uma pessoa é impossível de viver com esse cheiro. A única forma de o fazer passar é tomando um banho em sumo de tomate e a roupa vai para o lixo. Por isso as pessoas precavidas têm em casa duas latas de dois litros de sumo de tomate.

Desloca-se sorrateiramente e sem barulho.
Mas não passou sem nos dar uma olhadela. É mesmo linda.

terça-feira, 18 de abril de 2017

Fachadas de Montreal

Uma das maravilhas de Montreal são as suas fachadas com as respectivas águas furtadas.

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Arte índia em plena rua

Qualquer que seja o nível de governo ou mesmo privado que nos apresente arte em plenas ruas de Montreal, fica a noção que mesmo de forma simples podem ir distraindo os olhos do passante. A pessoa tem sempre arte para ir vendo na baixa, o que origina momentos mais agradáveis como este em frente de uma secção da Universidade McGill.

sábado, 15 de abril de 2017

Páscoa

Votos de Páscoa Feliz.

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Pica pau e os esquilos

A floresta urbana de Montreal e os seus jardins originam uma variedade de animais muito elevada na cidade e no caso de aves é um facto que não se pode ignorar.
Hoje apresento o pica-pau de bico curto que logo de manhã cedo começa o seu trabalho incançável não deixando dormir as pessoas. No verão tornam-se incomodativos pois ter na nossa árvore quatro pica-paus às cinco da manhã, é uma orquesta que não se pode evitar.

Algumas fotos de pica-paus de bico curto numa árvore mais que centenária.
Uma pequena linha vermelha no lado de trás da cabeça, dá-lhe um toque de beleza muito especial.
Trabalhor incansável não permite aos esquilos de fazerem a soneca matinal. Começa logo de manhã a bicar nas paredes da toca dos esquilos.
E começa o vai e vem: saída e entrada dos esquilos na toca.
Como o inverno é muito rigoroso, é proibido dar comida aos animais durante todo o ano para que nunca percam o instinto de procurarem a comida.