terça-feira, 19 de julho de 2011

As árvores morrem de pé

6 comentários:

Dom Rafael "O Castelão" disse...

Boa foto, meu caro..
Um abraço!
Quando acabam essas férias?
Estamos sentindo tua falta!
Beijinhos para as tuas jóinhas!

AAAqui Ici Here e Alem Mar disse...

O manequim estava lá, foi só pescar-lhe o olho. Peço desculpa de só agora aparecer mas tal é originado por todos os motivos que o Rafael conhece.
Um abraço para si extensivo à Celeste Maria, a quem também vou responder.

AAAqui Ici Here e Alem Mar disse...

Rafael

Aproveito este espaço para pôr a minha resposta ao seu comentário do artigo desmistificação:

Quando criei o blogue foi com o fim de dar a conhecer as vivências desta terra, ficando todo o resto para segundo plano. Como sonhar é possível e não paga imposto, muito gostaria de ver Portugal neste caminho e assim muitas das clivagens que temos, desapareceriam.
Um abraço.

aminhapele disse...

Domingo passado,no Samambaia,conversávamos sobre o corte de palmeiras na Sá da Bandeira.Disse-me um botânico amigo que as palmeiras,tal como grande parte dos plátanos,sofrem de uma doença que as destrói por dentro e as vai tornando ocas.Disse-me o nome da doença,que não fixei.Mas exemplificou com a osteoporose.
Daí a necessidade do corte:não é conhecida outra solução.
Um abraço,Chico.

AAAqui Ici Here e Alem Mar disse...

Rui Lucas

Desculpa de só agora te responder mas antes fui ao corte. Tudo bem mas vou andar calmamente.

Quanto às árvores, aqui há dois motivos: o que vem do tempo da tempestade de gêlo em 1998 e aindam se faz sentir, como um tipo de insecto que vem de países asiáticos e que só não destroi as árvores citadinas, como tem tendência a destruir a floresta.

Um abraço

aminhapele disse...

Obrigado,Chico.
Rápida recuperação!
A doença mais comum,por aqui,tem afectado essencialmente os pinhais.
É o nemátodo,cujo insecto cria a lagarta do pinheiro(também conhecida por processionária).Uns dizem que provem da Ásia,outros do Norte de África.O que é certo é enormes extensões de pinhal foram afectadas e,que eu saiba,a doença ainda não está controlada.
Um grande abraço.